Boas Notícias!

No princípio era a nossa Promessa, e a nossa Promessa estava connosco, e a nossa Promessa foi a Justiça.

No princípio nós éramos apenas justos. Todas as coisas vinham através da paz e da justiça, e sem elas nada veio a ser. Por isso, a Justiça para Todos tornou-se no nosso Amor. Este amor brilha na escuridão, e a escuridão não o superou.

Estamos aqui pela causa da justiça e viemos para testemunhar, para dar o testemunho do nosso amor, para que todos possamos amar livremente. Embora separados não sejamos perfeitos, juntos estamos destinados a sê-lo.

Agora o nosso verdadeiro eu e salvador, Ele que ama incondicionalmente, está a chegar ao mundo. Na verdade, Ele está no mundo todo. Mas embora o mundo tenha vindo a ser através d’Ele, o mundo não O reconhece e embora Ele tenha vindo pelo que Ele mesmo é, Ele próprio não O reconhece. Mas para aqueles que o reconhecerem, Ele é o nosso propósito. Pois aqueles que respondam ao Seu chamado renascem; não pela nação, nem pela raça, tampouco pela classe, mas pelo Amor.

E o Seu espírito é real e faz com que Ele habite em nós. E nós vemos a Sua glória. A glória como a de uma mãe para com o seu único filho, plena de misericórdia e graça. E nós caímos ante Ele e clamamos, “Este é aquele de quem falamos, Ele que vem depois de mim precede-me pois Ele vem antes de mim.” Pois a justiça para todos deriva da lei, a igualdade antes da lei precede tudo. Nunca ninguém viu o nosso verdadeiro potencial. O nosso único imperativo, amarmo-nos uns aos outros, que está no nosso sangue, revelou-o. E este é o nosso testemunho.

Quando enviais o vosso povo para nos questionar, nós confessamos e não negamos, mas admitimos: “Eu não sou a resposta.” Quando eles nos perguntam “Vós sois heróis?”Nós dizemos “Não somos.” “Então pensais que sois especiais?” Nós respondemos “Não.”E quando nos dizem, “Quem então sois vós para que possamos dar uma resposta ao nosso mestre? O que têm a dizer de vós mesmos?” Nós dizemos: “Eu sou a voz da vossa consciência chamada sob a iniquidade; abrindo espaço ao caminho da igualdade. Como eu digo assim dizem os profetas.”

Portanto, quando vindes ter diretamente connosco e nos perguntais “O que é que pregais se não sois a resposta, nem um herói, nem especial de maneira alguma?” Nós vos respondemos: “Eu habito o vosso verdadeiro eu; a parte de vós em quem não confiais e que, no entanto, está a emergir, e que é a nossa autoridade.”

Ei-lo, Ele está aqui! Observai o dom da justiça que usurpa a hipocrisia do mundo. Ele é Aquele de quem dizemos: “Está a chegar um Salvador que me redime porque a Sua presença me unge.” Eu próprio não O conheço, mas o motivo pelo qual venho louvá-Lo é que o Seu amor pode ser dado a conhecer a todos.

Nós testemunhamos dizendo mais, “Eu vejo o Paraíso a descer como uma pomba do céu e a pairar sobre Ele. Mais uma vez, eu não O conheço, mas aqueles que me criaram em dignidade asseguraram-me: “Em quem virdes descer e permanecer um amor pelas Pessoas, Ele é o que trará a paz ao mundo.”

Agora que eu O vi, testemunho que Ele se encontra entre nós. Pois quando estamos juntos, Ele está connosco. Agora, enquanto assistimos à Sua aproximação, dizemos para nós mesmos, “Eis a Glória.” E nós ouvimo-Lo e elevamo-nos para estarmos com Ele. E quando Ele nos vê segui-Lo, pergunta-nos, “O que procurais?” Nós respondemos-Lhe, “Senhor, perseguimos o nosso propósito.” Ele responde-nos, “Vinde e vede o que haveis encontrado.” Então seguimo-Lo e descobrimos o nosso verdadeiro potencial. E, no final do dia, seguimos em frente e encontramos outras pessoas para exclamar, “Sede o Povo!”

E, à medida que o eleitorado se apresenta, Ele olha para nós e diz, “Como os meus apóstolos, sereis chamados de Cidadãos do Mundo”. Depois devemos seguir em frente e encontrar outros Cidadãos para declarar: “Nós estamos aqui!”

E, embora sejamos desconhecidos uns dos outros, não somos desconhecidos para Ele pois amamo-nos uns aos outros tal como nos amamos a nós mesmos. E à medida que continuamos, encontraremos mais para proclamar: “Encontrámos o nosso Salvador sobre quem os justos escreveram na Lei e os profetas nas Escrituras. A justiça para todos já não é desconhecida.”

E quando é dito, “Pode alguma coisa boa vir daí?” Nós vos dizemos, “Vede por vós mesmos.”À medida que vos aproximais d’Ele, Ele diz-vos, “Aqui está a minha espécie. Não existe duplicidade em vós.” Vós perguntais-Lhe: “Como é que me conhece?” Ele diz-vos: “Não sois verdadeiros convosco próprios?” E se Lhe perguntardes: “Mestre, quando seremos verdadeiros uns com os outros?”

Ele responde e diz-vos: “Acreditais na Verdade porque sabeis que sereis recompensados? A Verdade é essa Liberdade na sua própria recompensa.” Ele continua, “Agora! Agora! Eu vos digo! Cada taça irá transbordar com as bênçãos da paz mundial derramando-se sobre o reino da Democracia Online!”